DATA_VASILHAME_E_ÁGUA.jpeg

Publicado por Associação Brasileira de Defesa do Consumidor.

                               Atenção para não adquirir galão com prazo próximo do vencimento, pois as empresas não são obrigadas a receber do consumidor um garrafão com data de validade vencida. Quem tiver um galão antigo terá que descartá-lo e comprar outro, assumindo o custo.

É importante verificar a data de fabricação do galão na própria embalagem. A data de validade presente no rótulo se refere à água e não à data de validade do garrafão. E, mesmo que a água esteja dentro de sua data de validade, ela não é própria para o consumo se o garrafão estiver vencido.

Caso o consumidor constate a venda de galões com mais de três anos de uso, deve denunciar para o Departamento Nacional de Produção Mineral ou até mesmo para a vigilância sanitária do município. 

A Portaria 358 do Departamento Nacional de Produção Mineral definiu prazo de validade de três anos para os garrafões retornáveis de 10 e 20 litros para evitar que resíduos interfiram na qualidade da água . A norma está vigor desde setembro do ano passado, em todo o país, e os galões mais antigos foram retirados do mercado de forma escalonada, nos oito primeiros meses de aplicação da medida. As empresas tiveram prazo para se adequarem à nova legislação.

A medida tem como objetivo reduzir qualquer possibilidade de contaminação da embalagem e da água. O fabricante é obrigado a disponibilizar um polietileno virgem e novo, evitando o desgaste dos vasilhames retornáveis ao longo dos processos de lavagem e envasamento.A contaminação é comum no galão antigo, que, com o desgaste, acaba com fissuras em sua parte interna facilitando a proliferação de bactérias que contaminam a água.

Antes de escolher a água, a PROTESTE Associação de Consumidores orienta para verificar o estado do garrafão, assim como a data do envase. É preciso checar ainda se o lacre e rótulos estão intactos e dentro do prazo de validade. Caso a data esteja vencida, a recomendação é de registrar uma denúncia imediatamente à Vigilância Sanitária do município.

Para diminuir o impacto ambiental, nenhum dos garrafões antigos retirados pelas empresas será descartado. As embalagens serão reaproveitadas em vários processos de reciclagem.

 

 

                                                                                                     *Fonte   Associação Brasileira de Defesa do Consumidor